Rentabilidade em outubro segue tendência de queda sentida nos últimos meses

As entidades do sistema de previdência complementar fechado continuam a enfrentar os impactos da crise econômica e têm vivido um cenário difícil no que diz respeito a atingir as metas atuariais em seus investimentos. Em outubro, a tendência de queda sentida nos últimos meses se manteve e, com isso, as rentabilidades dos Planos BD e II foram negativas (-2,33% e -1,18%,

Cenário de crise é geral e participantes precisam ter cautela

Continuidade das revisões (para baixo) do crescimento do país, deterioração do cenário fiscal interno e preocupação maior com a trajetória de alta da inflação são alguns dos fatores apontados pela Consultoria Aditus em levantamento para explicar o resultado médio negativo de -0,27% das Entidades Fechadas de Previdência Complementar em outubro. O estudo aponta ainda que a rentabilidade média acumulada das EFPC é de 4,93% no ano (considerando de janeiro a outubro) e de 8,15% em 12 meses (de outubro de 2020 a outubro de 2021) — números próximos aos obtidos pelo Plano BD no período (3,92% no ano e 9,66% em 12 meses) e que corroboram a situação conjuntural vivida atualmente.

Rentabilidade anual dos planos de benefícios em Outubro 2021

PANORAMA

A rentabilidade consolidada dos Planos BD e II em outubro foi negativa, embora alguns segmentos de aplicação tenham tido retornos positivos: em ambos os planos, Investimento no Exterior e Operações com Participantes; no Plano BD, o segmento Imobiliário; no Plano II, a Renda Fixa e o Estruturado – Multimercado. O resultado global foi puxado para baixo por conta dos retornos em Renda Variável e Renda Fixa atrelada a Títulos Públicos — os que pior performaram no mês.

Você sabe como a meta atuarial impacta o resultado de um plano de benefícios?

As Provisões Matemáticas correspondem ao valor atual necessário para o pagamento dos benefícios concedidos e a conceder. São calculadas pelos atuários, considerando diversas premissas e hipóteses (taxa de mortalidade, idade de aposentadoria, crescimento salarial, composição familiar, regras dos regulamentos dos planos e outras), além da meta atuarial.

Maioria dos Planos BD dos fundos de pensão brasileiros não atinge metas atuariais nos últimos meses

Apesar do avanço na vacinação, o Brasil continua sofrendo forte impacto dos efeitos da crise provacada pela Covid-19. A ela, somam-se fatores domésticos como o crescente aumento da inflação e a instabilidade política, além de questões internacionais, como a perspectiva de baixo crescimento da China — principal parceiro econômico do País — em 2021. Um panorama que mantém a tendência de baixo retorno nos investimentos do Plano BD, conforme os dados a seguir:

Crise aumenta desafios para fundos de pensão — FAECES já enfrentou cenários semelhantes anteriormente

A FAECES, como todo fundo de pensão, faz a gestão dos seus investimentos com foco no longo prazo — uma característica fundamental na superação de crises econômicas. Inclusive, ao longo dos seus mais de 26 anos de existência, a Fundação já enfrentou cenários desafiadores. Relembre-os, a seguir.

  • 2008-2009

A crise da bolha imobiliária nos Estados Unidos provocou alta volatilidade nos mercados em 2008.

Rentabilidade anual dos planos de benefícios em Setembro 2021

Em setembro, a rentabilidade do Plano BD foi negativa e a do Plano II foi levemente positiva. Os segmentos Renda Variável, Referenciado e Estruturado – Participações tiveram retornos negativos no mês. Já os demais tiveram resultados positivos, porém, abaixo das metas — com exceção do segmento Operações com Participantes.

Os retornos abaixo das metas atuariais vêm ocorrendo em virtude de alguns fatores desfavoráveis no mercado financeiro,

8ª Semana ENEF tem atividades online e 100% gratuitas sobre educação financeira, de 08 a 14 de novembro. Participe!

A 8ª Semana Nacional de Educação Financeira (ENEF) vai de hoje até domingo e, novamente, tem o apoio da FAECES.

O tema da Semana ENEF deste ano é Planejamento, Poupança e Crédito Consciente: O PLA-POU-CRÉ e a sua saúde financeira, que propõe discutir como o planejamento, a poupança e o crédito consciente podem contribuir para uma vida financeira mais saudável.

Novembro Azul: contra o câncer de próstata o preconceito não pode ter vez!

Anualmente, o mês de novembro transforma-se num período de conscientização em todo o país quanto à saúde do homem — que comumente deixa os cuidados pessoais de lado e, posteriormente, descobre doenças em estágio avançado, como o câncer de próstata.

O preconceito e a desinformação são os principais fatores que colaboram para essa cultura da “masculinidade imbatível”,