Corte gastos sem sofrimento

Ninguém gosta de perder dinheiro, certo? Poucas coisas dão tanta raiva quanto desperdiçar dinheiro, ficar com aquela sensação de que você jogou dinheiro no lixo. No entanto, é o que muitos de nós fazemos ao não tomar tanto cuidado quanto deveríamos com nossos gastos.

Quem nunca deixou de cancelar uma assinatura de revista que já nem lê mais? O mesmo vale para plano errado de celular ou tarifas desnecessárias no banco. O problema é que todas nós temos vidas tão corridas que parece que nunca sobra tempo para cancelar aquele cartão de crédito que não usamos mais, ou estudar o extrato do banco para saber quais serviços de fato usamos e se podemos usar um pacote mais barato.

O problema é que não parece muito dinheiro. A assinatura do jornal custa apenas R$ 29,90 por mês – e parece que vai dar tanto trabalho cancelar que você deixa aquilo para o mês que vem. Afinal, não são nem R$ 30. Ou são?

A chave aqui para te motivar e acabar com essas contas desnecessárias de uma vez por todas é entender quanto estes gastos representam no seu ano – e não apenas o custo mensal dele. Por exemplo: a tal da assinatura do jornal, de R$ 29,90 por mês, sai por R$ 358,80 por ano. Já não parece pouco dinheiro, não é mesmo?

A ideia aqui é anualizar o custo, para você ver quanto dinheiro está perdendo. Se R$ 30 mensais parecem pouco para o trabalhão de cancelar a assinatura, R$ 360 dando sopa na sua conta não são pouca coisa. Pense em tudo o que você poderia fazer ou comprar com este dinheiro…

O que te motiva a acabar com este tipo de desperdício é o que os economistas comportamentais chamam de aversão a perdas. Todos nós temos pavor de perder algo, especialmente dinheiro. Se você percebe quanto dinheiro está perdendo com desperdício bobo, entra a vontade imediata de parar de gastar com besteira.

Faça este exercício com todas as contas automáticas que você paga sem questionar: tarifa de banco e cartão de crédito, plano de celular, assinaturas de jornais, revistas e apps. Olhando o valor anual de todas estas despesas, você vai ver como cortar gastos sem sofrimento e ainda evitando o desperdício. Vale a pena!

Fonte: Carolina Ruhman Sandler, para o Finanças Femininas

Leave a Comment